Vamos tornar-nos mais civilizados?

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Cajuja em Guantanamo

Trouxe da Tunísia duas palmeiras para plantar no meu quintal. O Cajuja, na ausência dos donos, fez a folha às duas. Foi julgado e sentenciado num instante: Guantanamo com ele! Agora só vem dormir a casa e, de manhã, segue para Guantanamo outra vez. Guantanamo é a parte detrás do Carrascal de fora. É toda cimentada e tem um portão que lhe veda o acesso à parte da frente, se o gajo quer acabar com as árvores, pode começar a pensar em redireccionar a carreira para tanques, assadores e coisas que tais. Que o pariu! Estou danado com a merda do cão!

8 comentários:

Eric Blair disse...

pensava que era o cajuda, pá.

Rebel disse...

Isso é mais para a Ásia. Aqui ficou só o Cajuja, camandru!

MONKO disse...

TAS ARMADO EM BUSH COM O CANIDEO.
ESPERO QUE NÃO CORTES NA RAÇÃO.
A CULPA E TUA,POIS A MIM ENDINARAM-ME QUE QUANDO HA ARVORES NOVAS E CÃES ESTAS DEVEM SER PROTEGIDAS COM REDE OU CANAS.

Rebel disse...

e eu nunca mais saía dali....

Fada do bosque disse...

Tadito do Cajuja... a culpa não é dele... viu um objecto estranho e se calhar achou que fazia um brilharete...

Rebel disse...

E fez um brilharete, mas ao contrário. Foi o anti-climax! Nem quero pensar no assunto. Ando a transportar palmeiras da Tunísia para Portugal para o gajo me dar cabo delas...

Fada do bosque disse...

Pois... mas isso não é proibido?o transporte de plantas? ou estarei tótó?

Rebel disse...

De palmeirinhas, não!
As madeiras é que já são outro assunto!