Vamos tornar-nos mais civilizados?

domingo, 19 de julho de 2009

Santa Comba Dão

Há momentos na vida de um homem que são irónicos. Tive de ir a Santa Comba Dão!
Não tenho qualquer reserva quanto à terra ou contra os seus habitantes, menos um!
Foi justamente à porta da casa em que esse um nasceu que o automóvel em que eu ia parou e até me tiraram uma foto a que vos poupo. Mas, na foto, justamente por cima da minha cabeça, pode ler-se numa lápide que se encontra no edifício em ruínas "aqui nasceu o Dr. António de Oliveira Salazar, que nunca roubou nada a ninguém". Ora, isto é inteiramente verdade, mas é apenas uma ínfima parte da verdade. Não roubou, mas permitiu que outros o fizessem, e também poderia dizer a placa que não matou. Mas para ser inteiramente justo, deveria também dizer que permitiu que outros o fizessem e até criou uma polícia especializada nisso. A placa podia ainda ter inscrita que não esbanjou, mas para ser mais precisa, deveria também dizer que condenou à miséria muita gente.
A esta cristandade, toda ela de pacotilha, seria bom alguém lembrar que não basta não se praticar o mal (coisa de que o defunto não se pode gabar, por ter permitido muito do que não poderia acontecer), é preciso ainda fazer qualquer coisa de bem. Seguramente que neste ponto haveria que procurar muito para que se encontrasse qualquer coisa a dizer de tal personagem.

2 comentários:

Voz do Seven disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Voz do Seven disse...

Falou!